Pesquisar este blog

Carregando...

13 de setembro de 2012

DORI CONSTRUIRÁ LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM MAIRINQUE


Empresa investe para desenvolver um habitat de inovação, capaz de contribuir para elevar o Brasil à condição de exportador de produtos de valor agregado.

A Investe São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, e a Dori Alimentos assinaram nesta quinta-feira, 6 de setembro, um protocolo de intenções para o investimento em projetos localizados no Estado, durante reunião no Palácio dos Bandeirantes. O encontro contou com as presenças do governador Geraldo Alckmin, do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, em exercício, Luiz Carlos Quadrelli, do secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, do diretor de Investimentos e Negócios da Investe SP, Hans Schaeffer, e de representantes da empresa.
Carlos Barion e Edivaldo Colombo da Dori  Alimentos
são recebidos pelo Governador Geraldo Alckmin

A Dori Alimentos investirá R$ 13,6 milhões em cinco projetos destinados ao Estado de São Paulo. O principal deles será a construção e implantação de um laboratório de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de produtos e processos inovadores, equipado com planta-piloto de alta tecnologia, em Mairinque, cidade localizada a 65 km da capital paulista.

O financiamento será da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a operação é intermediada pela Investe SP. “Nosso trabalho é dar todo o suporte ao investidor. Pudemos colaborar com a Dori na obtenção do financiamento junto à Finep e agora vamos continuar apoiando a empresa nas próximas fases do projeto, que trará empregos qualificados para o Estado”, afirmou o presidente da Investe SP, Luciano Almeida.

Os recursos serão destinados para atividades contínuas de P&D, além de promover a capacitação de mão de obra, por meio de parcerias com universidades e institutos de pesquisas tecnológicas. “A decisão da Dori em ampliar o foco em inovação é uma quebra de paradigma importante na indústria de alimentos, que não tem tradição de investir em P&D. Mostra também que não só as grandes corporações investem para criar um ambiente propício à pesquisa e desenvolvimento”, explica Carlos Barion, presidente da empresa. O novo laboratório será instalado às margens da Rodovia Castelo Branco.

A preocupação em inovar sempre fez parte do dia a dia da Dori, que há 45 anos atua no mercado de candies e snacks e tem um portfólio de aproximadamente 350 itens (SKUS). A empresa fabrica e comercializa marcas reconhecidas pelo consumidor, entre elas Bolete, Disqueti, Deliket, Gomets e Yogurte 100, que também ganharam a preferência de consumidores em mais de 60 países, incluindo todos os do Mercosul, Austrália, África do Sul, parte da Europa e Estados Unidos.

O valor liberado pela Finep terá, ainda, parte destinada a outros quatro relevantes projetos de inovação encabeçados pela Dori. O primeiro deles, com o IAC – Instituto Agronômico de Campinas, envolve pesquisa e desenvolvimento de cultivares de amendoim de porte rasteiro para plantio nas áreas de renovação de cana e visa atender toda cadeia do amendoim do Estado de São Paulo. A empresa fabrica produtos à base de amendoim há 30 anos, lidera esse mercado com 22,5% de participação e é uma das poucas marcas brasileiras certificada com o selo Pró – Amendoim da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab).

Os outros três projetos estão em andamento com o Instituto Mauá de Tecnologia, no ABC paulista. Um deles também está ligado à produção de amendoim. O outro, desenvolvido pelos pesquisadores técnicos da instituição junto com a Dori, busca uma forma de utilizar polímeros plásticos resultantes da transformação de resíduos de embalagens flexíveis como parte da matéria-prima para a fabricação de baús para caminhões. O resultado será baús mais leves, que permitirão aumentar os volumes de carga, contribuindo para a redução dos níveis de emissão de CO2. Há, ainda, um terceiro projeto revolucionário em andamento que deve resultar na conquista de uma patente internacional de grande relevância.

Recentemente, a empresa anunciou uma parceria com o Ital – Instituto de Tecnologia de Alimentos, com o propósito de criar o chamado Radar Tecnológico, que permite rastrear todas as tendências e avanços do setor. O foco do instituto é promover o crescimento econômico e social em toda a cadeia da inovação, com ações estratégicas e de impacto para o desenvolvimento sustentável do país.

Além disso, a Dori inaugurou em junho uma fábrica para a produção exclusiva de produtos à base de amendoim, a Unidade 40, localizada em Marília, interior de São Paulo. O novo local, que recebe investimento de R$ 15 milhões e geração de 200 empregos, conta com layout totalmente horizontal, usando o conceito sustentável de produção mais limpa e fluxo contínuo, com o mínimo de geração de resíduos, alta eficiência e total acessibilidade.

Sobre a Dori

Há 45 anos, a Dori Alimentos produz e comercializa produtos de alta qualidade nos segmentos de candies e snacks. Com um faturamento anual de R$ 500 milhões e geração de 2.200 empregos diretos, a marca tem forte presença no mercado nacional e vem crescendo de forma constante no cenário internacional.

A fábrica-matriz em Marília, interior de São Paulo, é totalmente inovadora no processo de queima da casca de amendoim. A empresa instalou um sistema de lavagem de gases para caldeiras, que reduz as emissões CO2 e possibilita o tratamento de resíduos sólidos lançados na rede de esgoto. Já na unidade de Rolândia, no Paraná, a geração de energia renovável é realizada por outros processos de biomassa. A fábrica, que produz cerca de 350 toneladas de doces por dia, utiliza desde 2003 o efluente tratado para o projeto de fertirrigação de uma área agrícola de 150 mil metros quadrados, destinada ao plantio de feno e eucaliptos.

Fonte: Investe São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário